PSDB se reúne para discutir permanência no governo Temer; deputados paraibanos se posicionam

Escrito por em 10 de julho de 2017

Lideranças do PSDB devem se reunir nesta segunda-feira (10), em São Paulo, para definir o rumo que o partido deve tomar em relação ao governo do presidente Michel Temer. O encontro é de iniciativa do governador paulista Geraldo Alckmin, e deve contar com a presença de Fernando Henrique Cardoso, Tasso Jereissati e do prefeito paulistano João Dória. Na Paraíba, deputados mostram, em sua maioria, posicionamento a favor da saída da legenda da base aliada de Temer.  Em 12 de junho, a legenda já havia se reunido e decidido continuar na base de Temer.

O deputado federal Pedro Cunha Lima publicou em uma rede social, no último dia 7, que é favorável a investigação da denúncia contra Temer. “Algumas pessoas falando sobre meu posicionamento na denúncia contra Temer. Votarei pela autorização do julgamento pelo STF”, disse o deputado federal; acrescentando que “não se pode barrar uma investigação como essa. O momento é de deixar claro que ninguém está acima da lei. Votarei sim”.

O deputado estadual Bruno Cunha Lima, que defende a saída, já havia cobrado uma reunião do PSDB para tratar sobre o assunto. Para ele, por permanecer aliado ao presidente, e sem melhoras significativas no governo, a legenda tem tido imagem desgastada. “O governo não tem governabilidade e a tendência é a cada dia piorar com outras coisas que estão por vir. A inclinação do mercado é reagir ao aumento do gasto público, inflação, movimentação do preço do dólar, desemprego, reações comuns do mercado. Como a tendência é de não melhorar no governo, e não melhorar na política, o PSDB está sendo fiador de tudo isso, pagando a conta sem ser devedor”, disse.

A deputada estadual Camila Toscano, disse que vai aguardar “informações de quem frequenta Brasília” para assim ter um posicionamento definido em relação ao caso.

Já o deputado estadual Dinaldinho revelou que durante reuniões anteriores a maioria peessedebista foi a favor do desembarque do governo Temer, e ele segue nesta vertente. “Houve durante a reunião votos convergentes, claro, mas ficou decidido que caberia a maioria do grupo decidir se iria ou não sair. A maioria pede a saída, e eu acompanho a maioria”, afirmou Dinaldinho. Porém, assim como no impeachment de Dilma Rousseff (PT), o prefeito patoense diz que deve haver argumentos legais para justificar a retirada do atual presidente, e não que o processo ocorra novamente por votações de impedimento, e sim através de julgamento no Supremo Tribunal Eleitoral (TSE).

A reunião em São Paulo acontece no mesmo dia em que está prevista a divulgação do relatório do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) na Comissão de Constituição de Justiça da Câmara (CCJ) sobre a denúncia contra Temer da Procuradoria-Geral da República.

A reportagem do Blog do Gordinho tentou contato com o deputado estadual Tovar Correia Lima, e com o presidente estadual do PSDB, Ruy Carneiro, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta matéria.

 

 

Com Blog do Gordinho 

Opiniões do leitor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Ao vivo

Maringá FM

Current track
TITLE
ARTIST