Justiça Federal na Paraíba tem mais de R$ 44 milhões à procura de beneficiários

Escrito por em 15 de agosto de 2017

A Justiça Federal na Paraíba (JFPB) disponibilizou a relação de 12.866 pessoas beneficiadas por Precatórios e Requisições de Pequeno Valor/RPVs, contendo montantes depositados há mais de dois anos e ainda não sacados pelas partes interessadas. A lista, disponível em www.jfpb.jus.br, permitirá aos credores saberem se tem direito a valores depositados em contas judiciais. “Apuramos cerca de R$ 44,9 milhões  que poderão ser sacados pelos beneficiários até o dia 31 de agosto“, destacou o diretor do Núcleo Judiciário da JFPB, Ricardo Correia.

Para saber se faz parte desse rol, basta acessar o Portal da Justiça Federal na Paraíba e clicar no banner “Precatórios e RPVs não levantados”, situado ao lado direito do site. Depois disso, é preciso digitar o nome completo da pessoa física ou jurídica e o número do CPF ou CNPJ.
 
Confirmada a existência de valores pendentes de saque, o beneficiário deverá, até 31 de agosto, dirigir-se a qualquer agência da instituição bancária onde foi realizado o depósito, munido dos seguintes documentos:
 
Pessoa física:
– Documento de Identificação (emitido há menos 10 anos).
– CPF.
– Comprovante de Endereço em nome do beneficiário (Validade: 90 dias).  Caso o beneficiário não tenha documento em seu nome, pode trazer em nome do cônjuge, do pai, da mãe ou de imóvel alugado, desde que comprovado o parentesco ou a situação.
 
Pessoa Jurídica:
– Documento de Constituição da Empresa (Contrato Social e alterações).
– Documento dos Sócios Representantes (CPF, Identidade e Comprovante de endereço).
– CNPJ.
– Certidão da Junta Comercial.
 
De acordo com o juiz federal Bruno Teixeira, diretor do Foro da Seção Judiciária da Paraíba, embora a Lei nº 13.463/2017 (que dispõe sobre os recursos destinados aos pagamentos decorrentes de precatórios e de RPVs federais) tenha previsto o cancelamento de requisitórios de pagamento expedidos e com valores depositados há mais de dois anos em instituição financeira oficial sem que tenha ocorrido o devido levantamento pelo credor, as partes ainda poderão sacar os valores, desde que o faça até o dia 31 de agosto do corrente ano.

“É de suma relevância a divulgação desta matéria, tendo em vista a expressiva quantidade de valores e pessoas beneficiadas em ações judiciais na Justiça Federal paraibana, que não sacaram valores depositados, passados mais de dois anos”, acentuou.

 

 

Assessoria 

Opiniões do leitor

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *


Ao vivo

Maringá FM

Current track
TITLE
ARTIST